Windows Live Messenger + Facebook

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Ordenamento para camelôs, barraqueiros e feirantes em são João de Meriti

alt
Desenvolvimento  econômico e humano andam de mãos dadas em São João de Meriti. Sendo assim, a secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico e Ordem Urbana (Semdourb) trabalha a promoção da cidadania como elemento gerador do crescimento da economia na cidade.
A arrumação do solo público vem nesta vertente, em que o progresso vem pela ordem. Para isso, a Semdourb fez o cadastro social dos camelôs, barraqueiros e feirantes, organizando os locais e exigindo limpeza e higiene dos trabalhadores. Isto é, o enquadramento da Feira da Ciclovia, Polo Gastronômico da Ciclovia, Feirinha, 2º Polo Gastronômico na Praça Três Poderes e feiras livres. Licenciado pela Prefeitura, eles pagam a taxa de R$ 31,40 pelo uso do solo.
Foi o que aconteceu nas ruas Manoel Machado Nunes e Expedicionário, cada uma com 25 camelôs. “O cadastro social permitiu, por exemplo, que soubéssemos de caso de necessidades especiais em famílias, permitindo um trabalho em conjunto com outras secretarias em prol dessas pessoas, como o da doação de cadeiras de rodas”, explicou a subsecretária da Semdourb, Elza Silva Vieira.
Na Ciclovia, com mais de 110 camelôs, era uma desordem. “Era uma bagunça de caixotes. É necessário separar pobreza de sujeira. Arrumamos em cinco alas de circulação, sendo a primeira para portadores de necessidades especiais”, contou ela.
Agora, pode-se dizer que lá é um Mercado Popular, com horário de funcionamento de 7h às 17h45. Também na Ciclovia, funciona, das 18h30 à 1h, o Polo Gastronômico Popular. Para esses barraqueiros, a Semdourb promoveu um curso de manipulação de alimentos, em parceria com a Vigilância Sanitária. A população pode desfrutar de barraquinhas de cachorro-quente, angu, carne seca. Bebida tem de todo tipo, mas não em garrafa porque é proibido. Para manter a ordem no local, há uma reunião mensal.
Também na Ciclovia, desde junho, há o projeto voz e violão para um público de 500 pessoas até a meia-noite. E está previsto a construção e administração de um banheiro público. Tudo custeado pelos 48 barraqueiros.
“Com essa arrumação e fiscalização, houve a retomada da família ao local. Com higiene e ordem, o progresso chega rápido”, pontuou Elza.
A feirinha permanente da Avenida Arruda Negreiros, onde encontra-se desde legumes ao pano de prato, também foi reestruturada. Os 98 feirantes foram cadastrados e licenciados. Não é permitido o número de cinco faltas consecutivas sem comunicação a Secretaria. A penalidade é a perda da licença já que a procura é grande.
Na Praça dos Três Poderes, o 2° Polo Gastronômico acontece das 18h à 1h, de quinta a domingo, nas mesmas regras. Desde julho, foi instalada, em parceria com o 21ª Batalhão, uma cabine da PM para coibir atos de prostituição e drogas.
“Havia também uma concentração de ‘gato’ de energia, mas em um mês acabamos com isso. Eles agora utilizam luz própria, seja por gerador ou luz de emergência”, disse Elza.
Uma outra mudança está no lazer da criançada. Antes eram vários brinquedos infláveis pela praça. Hoje só é permitido dois deles, com o selo de segurança. Para o Camelódromo do Vilar, o projeto de reforma estrutural está em fase final.
As feiras livres também foram ordenadas. Elas foram enquadradas no horário das 6h às 14h, com lixeira para cada barraca, peixes refrigerados, uniforme, entre outros requisitos.  O número de feirantes hoje é de 1.182, espalhados em 10 feiras por toda cidade.  Para todos, é exigido o uso de toca, luva e jaleco branco, inclusive dos auxiliares.

Pontos de feira por dia da semana:
Segundas – Avenida Comendador Teles, em Vilar dos teles
Terças – Avenida João de Deus Menezes, em Venda Velha
Quartas – Rua Dionísio Rocha, no Parque Araruama
Quintas – Rua Arnaud Guedes de Amorim, em Coelho da Rocha, e Rua Maria Cândida, no Jardim Íris
Sextas – Rua Antônio Leite Ramalhete, em Éden
Sábados – Rua Manoel Correa, em Vila Rosali, e Avenida Nilo Tavares, no Jardim Sumaré
Domingos – Rua Visconde da Gávea, no Jardim Metrópole, e Ciclovia, no Centro de São João
fontes.diário democrático 

Nenhum comentário:

Postar um comentário