Windows Live Messenger + Facebook

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Meriti, Excelência em merenda

Foto Ronaldo Bapt

Merenda é assunto sério para a Secretaria de Educação e Cultura de São João de Meriti e uma das prioridades do governo Sandro Matos. A ideia é disponibilizar merenda escolar conforme prevê a lei 11.947 de 16 de junho de 2009: alimentação saudável e adequada. Afinal, criança bem alimentada aprende muito melhor. Um exemplo dessa realidade pode ser constatado na Escola Municipal Orlando Francisco, de Agostinho Porto, onde os alunos entram às 7h30min e tomam desjejum (café com leite, pão com manteiga, bebida láctea, biscoito), almoçam um cardápio variado e tomam lanche, caso permaneçam na escola para atividades extras. A despensa, os alimentos e os funcionários que manipulam os alimentos são monitorados por uma equipe técnica da secretaria que visita as unidades escolares todas as semanas.
O cardápio oferecido a todas as crianças das 61 unidades escolares da rede municipal é elaborado por nutricionistas, conforme legislação federal. Alessandra Gama Monteiro, uma das profissionais responsáveis pela merenda no município esclarece: “A nossa alimentação é rica em fibras que se encontra nas verduras, legumes e frutas. E a proteína adequada àfaixa etária dos alunos está presente em 15% da refeição, enquanto o carboidrato atinge de 55 a 60%. Os lipídios (gordura) completam o total de ( macro) nutrientes”.  Isso significa dizer que o objetivo é atender as necessidades nutricionais dos alunos durante sua permanência na escola, além de contribuir para o rendimento escolar e promover a formação de bons hábitos alimentares. O supervisor de controle de merenda da rede, André Simões, também participa da fiscalização e, no caso de faltar algum tipo de alimento numa escola, realiza o remanejamento de forma que nunca falte nada na despensa.  “Eu converso com os alunos e pergunto se estão gostando dos pratos oferecidos. Notei uma melhora na qualidade dos alimentos, os pratos estão mais coloridos, o que atrai as crianças”, conclui. Em casos raros, como a falta de água, por exemplo, a orientação é oferecer lanche seco aos alunos, com biscoito, uma bebida láctea e frutas até que o problema seja resolvido, o que em média não demora mais que um dia.  A Cone - Coordenadoria de Nutrição Escolar - realiza o planejamento, a execução e o monitoramento da alimentação distribuída para cerca de 26 mil alunos matriculados regularmente no município.  A fiscalização é feita também pelo CAE – Conselho de Alimentação Escola.  Na rede pública municipal os valores nutricionais das refeições oferecidas nas creches, aos alunos do ensino infantil e ensino fundamental superam os índices  recomendados oficialmente, pelo FNDE ( Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) ou seja, as necessidades nutricionais atingidas nas creches é de aproximadamente 86%, enquanto o FNDE  recomenda um mínimo de 70% para esta categoria escolar. A  média das quatro refeições (desjejum, almoço, lanche e jantar)  está  distribuída por cardápios:

Cardápio I  (desjejum + almoço + lanche + jantar) - 820, 44 cal                                                                                              
Cardápio II (desjejum +almoço, + lanche + jantar) -  893,12 cal                                                                                                 
Cardápio III (desjejum + almoço+ lanche + jantar)-  870,28 cal                                                                                                   
Cardápio IV (desjejum + almoço + lanche + jantar)-  852,58 cal

No Ensino Infantil e no Fundamental não é diferente.  Enquanto o PNDE recomenda atingir no mínimo 20% para estas categorias, a rede municipal atinge aproximadamente 40% . No Ensino Fundamental as necessidades nutricionais atingem 36% na faixa etária de 6 a 10 anos e 25% na faixa de 11 a 15 anos.
 por.Marcia Rosario

Nenhum comentário:

Postar um comentário